Ação&Manejo: Produção de ovos orgânicos

Produção de ovos orgânicos – Ação&Manejo

A criação de aves no sistema orgânicos é uma alternativa para produzir ovos livres de resíduos, respeitando o bem-estar animal e a sustentabilidade ambiental. A atividade considera as pessoas que trabalham no sistema, a preservação do meio ambiente e biodiversidade, além de agregar renda e segurança alimentar à pequena propriedade.

O sistema de produção orgânico de aves poedeiras é definido pela lei nº 10.831, de 23/12/2003 (BRASIL, 2003) e regulamentado principalmente pelas IN nº46 de 06/10/11 (BRASIL, 2011) e IN n°17 de 18/06/2014 (BRASIL, 2014) do MAPA, nas quais se faz referência aos produtos obtidos pelo sistema orgânico, ecológico, biológico, biodinâmico, natural, sustentável, regenerativo e agroecológico

Produzir ovos para consumo humano é uma tarefa nobre, devido ao valor nutricional do ovo e os cuidados específicos para se evitar contaminações. O ovo é um produto de alto valor biológico e sua composição nutricional é muito próxima das necessidades humanas, sendo superado, em qualidade, apenas pelo leite materno. Por esses motivos, o produtor deve se conscientizar de que não está produzindo um simples produto, mas sim, um alimento essencial para a saúde humana, que como outros alimentos, sofre riscos de contaminação e é facilmente perecível.

Podem ser criados diversos tipos de aves em sistema orgânico (galinhas, patos, perus, marrecos, etc.), desde que sejam fornecidas instalações, nutrição, conforto e cuidados sanitários necessários a cada espécie.

Para a produção de ovos, podem ser utilizadas galinhas de raças, cruzamentos, linhagens de postura ou até mesmo sem raça definida, desde que sejam adaptadas ao sistema orgânico de produção, do modo que será descrito ao longo do texto.

Artigo "Ação&Manejo: Produção de ovos orgânicos" | Nutrição Animal - Agroceres Multimix

De acordo com as normas da produção orgânica, as instalações devem dispor de áreas – também chamadas de piquetes ou parques – para o contato social, movimento e descanso, para que as aves possam expressar o seu comportamento natural, bem como área para alimentação, proteção de inimigos naturais e de agente climáticos (chuva, vendo, insolação). No sistema orgânico, não é permitido a criação em gaiolas ou em galpões totalmente fechados. As aves devem ter espaço necessário para movimentação, alimentação, pastejo, descanso e realização da postura. Os piquetes devem apresentar uma cobertura vegetal, seja de capim ou vegetação nativa, para proteger o solo da erosão e do pisoteio constante das aves durante o pastejo, sendo recomentado também o plantio de árvores para fornecer sombra às aves durante o dia.

Os comedouros e bebedouros podem ser de diversos tipos, devendo ser respeitado o número máximo de aves por comedouro, ajustando a altura a cada mudança de fase da ave, para evitar desperdícios de ração e aumento da umidade da cama. Na instalação para produção orgânica, também devem existir ninhos e poleiros, que podem ser de vários modelos. De modo geral, o ninho tem como medidas 35 cm (largura) x 40 cm (altura) x 40 cm (profundidade), sendo que uma boca de ninho deve ser utilizada para cada 4 aves.  Já os poleiros, são construídos geralmente no modo horizontal para que todas as galinhas fiquem no mesmo nível, evitando assim, possíveis problemas com hierarquia entre as aves. Outro fator a ser considerado é a densidade no alojamento, ou seja, o número de aves que podem ser alojadas em determinada área, sendo sugerido – segundo a Instrução Normativa (IN) nº 64 (BRASIL, 2008) – uma lotação máxima de 6 aves/m2 no galpão e na área externa. No caso de piquete rotacionado, a densidade é de 1m2 por ave.

Os procedimentos de biosseguridade devem ser adotados para a redução da carga microbiana no sistema de produção, uma vez que, em sistemas orgânicos, o uso de medicamentos convencionais é restrito.  A vacinação é uma prática recomendada para a prevenção e controle de doenças na avicultura orgânica e o programa de vacinação é específico para cada situação.

No sistema orgânico é priorizado o uso de tratamentos alternativos como homeopatia e fitoterapia. Antissépticos naturais (própolis, alho, etc.) também são utilizados, bem como os probióticos para promover o equilíbrio da microflora intestinal e os ácidos orgânicos. O tronco e as folhas da bananeira, por exemplo, podem ser utilizados para o controle das verminoses nas aves. Além disso, como a densidade de aves por área é menor, as chances de doenças diminuem de forma bastante significativa.

Na parte de alimentação, para produção de uma ração orgânica balanceada, é necessário que a propriedade rural certificada produza os ingredientes orgânicos, isto é, sem uso de transgênicos e defensivos agrícolas. A legislação permite que o produtor coloque até 20% de produtos convencionais na formulação da ração, mas não podem ser transgênicos e ainda é preciso pedir autorização do órgão certificador para poder usar. Para as demais matérias primas da ração (suplemento vitamínico/mineral, sal, calcário, fosfato, corantes, etc.) é necessário que o fornecedor esteja credenciado a alguma certificadora como forma de controle.

De um modo geral, a criação de ovos em sistema orgânico exige um investimento inicial maior, quando comparado aos demais sistema de produção de ovos, porém é o que gera mais lucro por ave, devido ao aumento da procura por alimentos sustentáveis e saudáveis pelo consumidor.

Nas últimas décadas, os consumidores se mostram mais exigentes por produtos alternativos ou diferenciados, que podem ser representados pelos produtos avícolas orgânicos. Existe uma parcela do mercado consumidor que está disposta a pagar a mais por estes produtos diferenciados, uma vez que são substancialmente mais caros, devido ao sistema de criação.

O mercado brasileiro de alimentos orgânicos está crescendo, com taxas que passam de 20% ao ano – conforme registros do projeto Organics Brasil. O índice foi de 20%, em 2016 e, agora em 2017, deve passar de 30%. No mercado, os ovos orgânicos valem 100% mais que os ovos convencionais. Portanto, o avicultor consegue boa lucratividade, o que ajuda na manutenção do aviário, além de possibilitar a expansão dos negócios.

Nutrição Animal – Agroceres Multimix

Josiane Roccon

Josiane Roccon

Josiane Roccon Marques é Formuladora no Departamento de Formulação e Desenvolvimento da Agroceres Multimix.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *