A importância da gestão de dados na suinocultura – Parte 1

Gestão de dados, a importância  na suinocultura

Vamos falar sobre gestão de dados. A suinocultura passou por grandes mudanças nas últimas décadas. As evoluções alcançadas em melhoramento genético, nutrição, sanidade, manejo, instalações e ambiência contribuíram para o aumento do potencial produtivo dos animais, dando condições para que a atividade deixasse de ser praticada apenas em pequena escala, para subsistência, e ganhasse caráter de produção tecnificada, em larga escala, profissional e econômica.

Quando se encara a suinocultura como atividade econômica, é necessário considerar a granja como uma empresa, uma unidade de negócio que deve ser eficiente e competitiva para se manter em um mercado cada vez mais concorrido. Como qualquer empresa que queira ser bem sucedida, a granja necessita de um bom gerenciamento para alcançar o seu objetivo, a lucratividade.  Quanto maior o ganho financeiro, maior é a competitividade e a garantia de sobrevivência da granja a médio e longo prazos. Particularmente na suinocultura, esse aspecto é de importância relevante, devido às características do negócio (venda de commodity) e os constantes ciclos de crise enfrentados pelo setor de tempos em tempos.

Gestão de Dados - Nutrição Animal - Agroceres Multimix

A lucratividade é dada pela diferença entre a receita e as despesas, de modo que o maior lucro é, necessariamente, dependente do atendimento de uma das três alternativas: a) aumento da receita; b) redução das despesas; c) aumento da receita e redução das despesas, concomitantemente. Certamente, a última alternativa é a melhor, uma vez que contribui para ganho dos dois lados. Porém, como na suinocultura o controle sobre a receita, relacionada ao preço pago pelo quilograma do suíno, é ditado pelo mercado e independe da vontade do produtor, o meio mais eficaz de melhorar a lucratividade do negócio é manter as despesas sob controle.

É justamente neste contexto que a gestão da granja faz toda a diferença. Atuar no controle das despesas não significa – ou deve ser entendido pura e simplesmente – como redução de custos, mas sim como aumento de produtividade, visando diminuir o impacto dos custos sobre o resultado financeiro final. Em síntese, a lucratividade na suinocultura depende necessariamente de um processo eficiente de conhecimento e de gestão da produção através da informação para reduzir os desperdícios produtivos e manter o custo de produção abaixo do preço de venda, garantindo a eficiência, a competitividade e a sustentabilidade do negócio.

 

A gestão de dados na suinocultura

De maneira simples, gestão de dados pode ser definida como o ato de gerir, administrar, gerenciar. De modo mais específico e aplicado, gestão é o gerenciamento do funcionamento das organizações através de tomadas de decisão fundamentadas em dados e informações relevantes da produção, para garantir a utilização de todos os recursos disponíveis de forma eficiente. É analisar informações, problemas e recursos para planejar e executar soluções e resultados a partir de onde se está e para aonde se quer chegar.

De acordo com Vicente Falconi Campos (1994), “Somente aquilo que é medido é gerenciado. O que não é medido está à deriva”. Assim, o processo de gestão passa necessariamente pela definição de metas produtivas e pelo conhecimento e controle dos dados e informações geradas pela produção para o alcance dessas metas, de modo que a gestão deve ser baseada na coleta, armazenamento, análise das informações e tomada de decisão.

Neste artigo, iniciaremos a discussão sobre a gestão de dados na suinocultura, apresentando a importância da definição das metas produtivas e da coleta e armazenamento adequado das informações necessárias para o processo de gestão nas granjas.

 

Definição das metas

Definir as metas produtivas significa estabelecer o máximo potencial de produção da granja. As metas são o motor propulsor da gestão na granja de suínos. Em outras palavras, a definição das metas é responder à pergunta sobre: “aonde podemos e queremos chegar”, considerando as condições de material genético, nutrição, sanidade, recursos humanos e infraestrutura disponíveis. As metas produtivas devem ser determinadas em conjunto pelo empresário e pelo gerente, com clareza e objetividade, e de preferência envolvendo os demais membros da equipe, a fim de se comprometer e engajar todos os envolvidos na busca pelos resultados. As metas devem ser estabelecidas para períodos semanais, mensais e anuais por setor (reprodução, maternidade, creche, terminação) e para a granja como um todo (número, peso, idade dos animais a serem entregues), de modo a participar e comprometer a todos com o propósito final da produção. Devem ainda ser compatíveis com as condições da granja, para que sejam factíveis de alcance, sempre buscando a máxima relação entre produtividade e capacidade já instalada. Uma ferramenta interessante que auxilia na definição de metas e a traçar aonde se almeja chegar é o benchmarking, no qual resultados de diferentes granjas, pertencentes ou não ao mesmo sistema, são comparados, a fim de se extrair o que as mais bem sucedidas fazem de melhor e de planejar ações para a melhoria constante dos processos e resultados.

Gestão de Dados - Nutrição Animal - Agroceres Multimix

 

Coleta e armazenamento dos dados

Uma vez determinadas e conhecidas por todos, as metas precisam ser periodicamente comparadas com os resultados. Para isso, a coleta dos dados é fundamental no processo de gestão dentro da granja, pois são eles que dão embasamento para a tomada de decisão. Esses dados são as informações produtivas geradas em todos os processos de manejo definidos e realizados diariamente nos diversos setores da granja, como: taxa de parto, taxa de repetição de cio, taxa de aborto, nascidos totais, nascidos vivos, mortalidade nos diferentes setores, desmamados, peso de desmama, peso de saída de creche, peso de venda para o abate, etc. Entretanto, é importante ressaltar que não somente a quantidade de informação coletada interessa, mas principalmente, a qualidade dessa informação é fundamental, no sentido de que ela deve refletir exatamente o que está acontecendo durante o processo produtivo, para realmente orientar a decisão correta quando se fizer necessária. O melhor caminho para se garantir a qualidade na coleta dos dados é o treinamento da equipe, a fim de que os colaboradores estejam cientes sobre o real propósito e a importância da sua função e da coleta fidedigna das informações para o atendimento das metas e a evolução da granja.

O armazenamento das informações coletadas é o terceiro passo para o gerenciamento da produção, pois possibilita criar um histórico produtivo da granja. Dentre as formas de armazenamento utilizadas estão: os cadernos de anotações, os quadros de resultados e metas e os programas de gerenciamento (softwares). É importante salientar que o objetivo principal do armazenamento dos dados é, além de guardar as informações, permitir a análise dos índices produtivos e sua comparação com as metas estabelecidas, para acompanhamento da evolução dos resultados conforme as decisões que foram tomadas. Em outras palavras, dado o número de informações gerado diariamente na granja, deve-se cuidar para que o sistema de armazenamento escolhido funcione não como um “bando de dados” sem relevância para a gestão, mas como um verdadeiro banco de dados que realmente permita correlações para o uso adequado das informações no processo de análise.

Na próxima parte do especial: “A importância da gestão de dados na suinocultura”, você descobrirá quais são as demais etapas que complementam o processo de gestão eficiente nas granjas.

 

Agroceres Multimix. Muito Mais que Nutrição.

Anália Ribeiro

Anália Ribeiro

Anália Ribeiro é nutricionista de suínos na Agroceres Multimix.

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


2 + = 11