LactAção – Edema de úbere: conhecer para prevenir

O período seco é extremamente importante para a saúde das vacas em lactação. É nesse momento que o animal se prepara para uma futura produção leiteira. Entre os problemas de saúde que ocorrem em alguns animais durante essa fase, o acúmulo excessivo de líquido intercelular na glândula mamária (podendo acometer áreas abdominais e perineais), é um deles. Pode afetar ruminantes e equinos, mas é predominantemente observado em vacas leiteiras. Sua ocorrência varia em diferentes rebanhos leiteiros, mas a incidência média é de 18%. Pode surgir entre as duas semanas antes do parto e no período inicial do pós-parto.

A causa exata ainda não é totalmente conhecida. Elevadas ingestões de sódio e potássio são atribuídas a essa condição. Outros fatores incluem: deficiência de proteína, excesso de grãos na dieta e anemia (decorrente, por exemplo, de tristeza parasitária), além disso, a pressão sanguínea se altera e o fluxo de linfa do úbere também é prejudicado, ocasionando os sinais clínicos.

A maioria dos edemas de úbere está parcialmente relacionada à queda acentuada das proteínas séricas do sangue, que ocorre próximo ao parto. Essa queda está intimamente associada à transferência de globulinas para o colostro e, geralmente, é mais acentuada nos animais de primeira cria do que nas multíparas. O fluxo sanguíneo elevado no final do período gestacional, decorrente da maior demanda fetal, também colabora com essa condição. Evidências mais recentes relatam que o estresse oxidativo, tão comum nesse período, ocasiona dano seletivo às enzimas esteroidogênicas, resultando em retenção de sódio e expansão do volume sanguíneo, gerando assim edema. Logo, estratégias que diminuem qualquer forma de estresse devem ser buscadas.

Nutrição Animal - Agroceres Multimix

O edema – possivelmente – interfere na extração do leite pela ordenha, contribuindo para represar leite, e podendo estar associado a quadros de mastite. Além disso, os tetos podem encurtar e se afastar, tornando mais difícil manter fixas as teteiras do equipamento de ordenha. O edema também pode levar a problemas físicos como assaduras no úbere, que causam desconforto e podem progredir para doenças mais sérias. Atenção deve ser dada à questão do consumo, que pode ser afetado.

Fique atento:

  • Novilhas são mais predispostas ao edema;
  • Certifique-se que a dieta dos animais está balanceada, principalmente em: proteína, amido, sódio e potássio;
  • O estresse, seja ele oriundo do manejo, da temperatura, das instalações, entre outros, deve ser contornado, pois afeta não só a incidência como a severidade do edema;
  • Utilize sempre – que possível – nutrientes anti-oxidantes, que atuarão no controle;
  • Em casos extremos, procure orientação profissional para tratar o animal afetado. Mas tenha sempre em mente estratégias de prevenção;
  • Lembre-se: o cuidado começa após a secagem, e não somente no período de transição.

O tratamento do edema em si, que inclui exercícios moderados, diuréticos e anti-inflamatórios, não será abordado neste artigo (apenas 1,0% dos animais acometidos precisam de intervenção clínica). A melhor maneira de evitar o edema e/ou minimizá-lo, seria o balanceamento mineral durante o período seco, monitorando cuidadosamente a alimentação das novilhas e vacas nessa fase, em que se deve evitar o excesso de grãos. É importante o monitoramento da composição nutricional dos ingredientes que constituem a dieta (principalmente potássio e amido) e do sódio no sal mineral.

As ingestões de nutrientes antioxidantes, principalmente Zinco e Vitamina E, colaboram para controlar efetivamente o equilíbrio “oxidante”. Com base no conhecimento atual, as concentrações adequadas para vacas leiteiras, em condições normais, seria: 0,3mg/kg de Selênio, 20mg/kg de Cobre, 60mg/kg de Zinco, 0,25% de Magnésio (todos em relação ao consumo de matéria seca) e 2.000 UI/dia de vitamina E. A vitamina E adicional pode compensar parcialmente as insuficiências de outros antioxidantes em algumas condições. O equilíbrio de oxidação/redução celular pode variar de acordo com: o ambiente, a dieta, status sanitário, entre outros, e por isso pode ser necessário ajustes nutricionais.

Nutrição Animal - Agroceres Multimix

Figura 1: Novilha com edema de úbere pronunciado. Fonte: Universidade de Illinois, USA.

 

Agroceres Multimix. Muito Mais que Nutrição.

Carlos Giovani Pancoti

Carlos Giovani Pancoti

Carlos Giovani Pancoti é nutricionista de bovinos de leite da Agroceres Multimix

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


+ 1 = 4