Saiba escolher sucedâneos lácteos de forma inteligente, com qualidade e economia

Sucedâneos Lácteos – Saiba como escolher de forma inteligente.

Vamos falar de sucedâneos lácteos. O leite é um dos componentes que mais onera o custo de criação de bezerras leiteiras. Dessa forma, optar pelo uso de dieta líquida de menor custo – como é o caso dos alimentos substitutos de leite – pode reduzir o custo final da bezerra desaleitada.

Durante as primeiras semanas de vida, o fornecimento de dieta líquida de qualidade é essencial para garantir o desempenho ideal dos animais. Entretanto, são variadas as opções de alimentos disponíveis para o aleitamento, destacando-se o leite integral, o leite não comercializável (que inclui colostro, leite de transição e leite mamítico ou com resíduo de antibióticos), os sucedâneos lácteos ou substitutos do leite, ou ainda, uma mistura de todos esses.

Entre as vantagens para a utilização de alimentos substitutos do leite destacam-se: a economia, devido ao menor preço quando comparado com o leite integral; a possibilidade de aumento na quantidade de leite a ser comercializada pelo produtor; a constância da composição nutricional da dieta líquida; e a independência do aleitamento com relação aos horários de ordenha.

Contudo, devido à limitada capacidade de digestão de fontes de nutrientes de origem vegetal pelas bezerras durante as primeiras semanas de vida, a composição dessa dieta líquida merece uma atenção especial. Os substitutos devem resultar em adequada digestão e aproveitamento de nutrientes, e assim promover satisfatório crescimento e ganho de peso.

Atualmente, existem no mercado algumas dezenas de produtos comerciais que prometem substituir o leite para o aleitamento de bezerras, entretanto, poucos fazem isso sem comprometer o desempenho e desenvolvimento inicial dos animais.

Alguns produtos chamados de “sucedâneos lácteos” são muitas vezes a mistura de ingredientes vegetais, contendo alguma fonte de gordura livre sem qualquer tratamento e baixíssima inclusão de ingredientes lácteos. Estes produtos têm em sua composição entre 40 a 70% de ingredientes vegetais, sendo a inclusão de produtos lácteos de no máximo 30%.

Considerada como a principal responsável na variação nos dados de desempenho, as fontes proteicas utilizadas na fabricação de sucedâneos lácteos podem ser classificadas como fontes de origem láctea e de origem não-láctea. Tradicionalmente, bons sucedâneos comercializados no mercado apresentam entre 18 e 24% de proteína bruta (PB) na sua composição final, sendo o recomendado pelo NRC (2001) valores próximos a 20%.

Sucedâneos Lácteos - Nutrição Animal - Agroceres Multimix

Entre as fontes de origem láctea, o leite integral, o leite desnatado, o soro de leite e a proteína isolada do soro de leite são os ingredientes mais comuns encontrados na maioria das formulações e são os que apresentam os melhores resultados em desempenho. Sucedâneos lácteos de qualidade têm mais de 70% da sua composição destes ingredientes e, no máximo, 10 a 15% de outras fontes proteicas.

Apesar de apresentarem menor custo quando comparados aos produtos de origem láctea, algumas proteínas vegetais – como a proteína de soja – podem apresentar alguns fatores anti-nutricionais. Inibidores de proteases, presença de carboidratos indigestíveis, taninos e compostos fenólicos são alguns destes fatores que podem causar decréscimo na digestão de proteínas, inibição da secreção de enzimas e, principalmente, diarreias.

A opção pela inclusão de ingredientes não-lácteos em formulações de sucedâneos lácteos deve seguir alguns cuidados, principalmente quanto a escolha destes ingredientes. Atualmente, algumas fontes não-lácteas especialmente desenvolvidas para serem utilizadas em produtos substitutos de leite apresentam excelentes resultados de desempenho. Tratamentos físicos, químicos e térmicos promovem a estes ingredientes grande potencial de uso em formulações.

Uma outra forma bastante prática de avaliação da qualidade de sucedâneos lácteos é quanto ao teor de lactose do produto. Apesar das leis brasileiras não exigirem a declaração da porcentagem de lactose, os melhores produtos do mercado sempre mencionam as inclusões como forma de trazer maior confiança quanto à inclusão de ingredientes lácteos.

A lactose é o principal carboidrato encontrado em sucedâneos comerciais. Embora represente custo mais elevado em relação a outras fontes como o amido, o fator principal que justifica sua utilização está relacionada à limitação enzimática dos animais durante as três primeiras semanas de vida, que impede o aproveitamento de qualquer fonte alternativa.

Outro indicativo de qualidade é a porcentagem e composição de gordura. Por representar o ingrediente que mais impacta no custo e que mais necessita de tratamento especial, a inclusão de gordura é bastante variável, geralmente entre 14 e 22% em produtos de melhor qualidade.

Sem dúvida, a melhor fonte de gordura para incorporação aos sucedâneos lácteos seria a gordura do leite, entretanto, devido ao seu alto valor comercial, esta é totalmente substituída nos produtos por gordura vegetal.

As gorduras e óleos ideais devem ser incorporadas por técnicas de dispersão por baixa pressão, em que são pulverizadas no tamanhos de partículas entre 3-4 nm. Essas técnicas de tratamentos de gorduras são caras e encontradas em poucos produtos disponíveis no mercado.

Sucedâneos Lácteos - Nutrição Animal - Agroceres Multimix

Por fim, o teor de fibra é o parâmetro mais comum utilizado por técnicos e produtores como indicativo de alta inclusão de lácteos em sucedâneos. Como o leite e outros derivados não contém fibra, é esperado nestes produtos, valores próximos a zero. Entretanto, valores baixos de fibra não garantem a alta inclusão de lácteos, pois as atuais técnicas de tratamento das proteínas vegetais reduzem as frações fibrosas a praticamente zero, dando uma falsa impressão de um produto superior. De qualquer forma, valores inferiores a 0,5% de fibra já são bons indicativos de qualidade.

Como vimos, a busca por dietas líquidas com garantia de desempenho e custo reduzido é o foco de pesquisadores, técnicos e produtores,  principalmente devido ao pouco retorno financeiro das bezerras e novilhas durante os primeiros anos de vida. Embora possa parecer complicado pelas diversas opções de produtos e marcas disponíveis no mercado, o custo muito reduzido e a composição básica do produto descrita em rótulo já servem como indicativos na escolha do produto mais seguro e ideal para cada sistema.

Agroceres Multimix. Muito Mais que Nutrição.

Lucas Silveira Ferreira

Lucas Silveira Ferreira

Lucas Silveira Ferreira é Gestor Técnico de Bovinos na Agroceres Multimix

VOCÊ TAMBÉM PODE CURTIR...

2 Comentários

  1. Oderman Oliveira Lima disse:

    Muito bom e esclarecedor o artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


3 + 3 =